Ação Educadora Conviver na Escola Sr. Tito

11/06/2017

18034084_1490230474343174_1825982983841159353_n

Problemas nas escolas situadas em comunidades de baixa renda, geralmente em áreas periféricas das cidades é o cenário nacional mais comum quando o assunto é educação no Brasil. Porque são justamente nessas áreas em que mais se precisaria investir é também onde acontece o maior abandono, mesmo que existam professores dedicados e direção comprometida. É que as causas vão além dessas escolas e afetam a comunidade como um todo. Porém, isso não significa dizer que não temos nada para fazer nas escolas. Ao contrário! Temos e podemos fazer muito e este é o caso da proposta aqui apresentada, que a Conviver Saber Social pretende desenvolver na Escola Municipal Sr. Tito,  localizada no bairro de Palmital, periferia do município de Lagoa Santa, MG.

 “Escola deriva da palavra grega que significa lazer. Temos de reinventá-la como o lugar de desejo, de aventura e esforço prazeroso”. Bernard Charlot

Muito em breve, o Brasil terá sua BNCC – Base Nacional Comum Curricular aprovada pelo CNE – Conselho Nacional de Educação. Este importante documento define os elementos para a criação dos currículos escolares, ou seja, os conteúdos que deverão ser ensinados nas escolas brasileiras. Portanto, se os problemas forem maiores que a clareza do que se deve ensinar, será o mesmo que concluir que só há o fracasso como saída.   E o fracasso de uma escola não pertence apenas aos educadores que lá trabalham. Uma escola que dá errado significa que toda a sociedade fracassou. Portanto é hora de melhorarmos a escola de Palmital, para demonstrar que sim, é possível construímos uma escola de qualidade com toda a comunidade.

O papel da escola

Em muitos lugares do mundo, a escola vive hoje um tempo de profundo mal-estar social. Não é apreciada pelos alunos. Também não é apreciada pelas famílias, que questionam sua estrutura, a forma de trabalhar e seus resultados. Os professores também têm críticas à escola, que produz doenças laborais e que cobra muito do seu trabalho, oferecendo pouco. Sem falar na sociedade, que acaba por acusá-la de não preparar os cidadãos dos nossos dias de forma atualizada para as profissões modernas.

Acreditamos que a escola, mesmo com todos os problemas que carrega, tem conquistas inegáveis. A escola como dispositivo educacional contribuiu com alguns aspectos que merecem ser destacados, como por exemplo: facilitou o acesso a uma informação selecionada e a alguns conhecimentos básicos; possibilitou vínculos entre iguais; favoreceu a coesão social e, em certas ocasiões, a mobilidade social.

Na Escola Sr. Tito que como as demais, não foge deste cenário, se agrava quando analisamos seus espaços físicos, que são bastante precários. Neste projeto, vamos trabalhar no sentido de torná-la um espaço criativo, que se torne o lugar que estimule os alunos a darem o melhor de si, entendendo cada um como individuo, com um conjunto de qualidade e deficiências que precisam ser conhecidas e transformadas. Só assim seremos capazes de dar a eles o tempo que necessitam para serem o que são e não o que queremos que sejam.

Como vamos trabalhar

No trabalho que vamos desenvolver, queremos estudar o currículo escolar e focar como desafio naquilo que é significativo e eliminar o que não faz sentido aprender para desencadear a curiosidade e a capacidade de aprender das crianças respeitando seus ritmos. E assim ajudar a construir com a participação de toda comunidade escolar o currículo que faz sentido para a Escola Sr. Tito, tendo por base seu Projeto Educativo.

O que queremos no trabalho que vamos desenvolver no Palmital é ajudar a cada professor conquistar sua autonomia para se autorizar a fazer diferente. Significa se apropriar de seu tempo e decidir o que é relevante ensinar. Deixar de ser um burocrata do ensino e se tornar um mestre. Ser aquele que investe seu tempo não mais em fazer atividades desprovidas de sentido, mas com calma, propõe ações que possibilitem conhecer cada aluno e assim poder planejar atividades que ofereçam a cada criança o tempo de que ela necessita.

Para a escola que queremos transformar vamos trabalhar no sentido de que os professores sejam aqueles  que sabem como se trabalha os conhecimentos, como se processa, como se discute. Vamos trabalhar no sentido de que saibam captar nos alunos seus interesses e motivações, e propor conteúdos, garantindo o direito de todos à palavra.  Este modelo de professor não é mais o dono do saber. É um mediador de saberes que, sem hierarquizar as matérias, trabalha junto com os alunos, como pessoas inteiras, plenas.

A escola precisa trabalhar com determinação a ideia de que os alunos não são meros produtos ou resultados do que está planejado. Os estudantes não são um projeto, mas sujeitos e cabe a escola oferecer condições que eles possam se desenvolver sem imposições. Por isso vamos tratar do papel de estudante de uma perspectiva cidadã,  entendendo que são pessoas que têm direito ao espaço coletivo e aos espaços próprios para que possam viver a infância a e juventude com liberdade e expressividade.

Acreditamos que todos os alunos querem aprender quando são orientados adequadamente, quando lhes explicam o que precisam superar.  É necessário para isso que a escola veja os alunos no centro de suas preocupações e que objetive a equidade e a qualidade da educação para todos.

Neste projeto queremos trabalhar o valor da parceria mais importante de todas: escola / famílias. E assim abrir o debate sobre a necessidade de se lutar por políticas de proteção familiar, para que os pais recuperem, entre outros aspectos, sua função educativa. E, por outro lado, romper com o entendimento de que a escola oferece um serviço ou uma mercadoria e que os pais são consumidores. A escola faz educação e a relação não pode estar baseada no consumo e sim no conhecimento. Por isso, envolver as famílias no projeto de mudança da escola é um componente fundamental neste projeto.

Pretendemos trabalhar com a E.M. Sr Tito com algumas frentes conectadas neste projeto que tem por finalidade transformar a escola em um espaço privilegiado de aprender e de ser feliz. Para isso, vamos colaborar para que ela se torne uma escola valorizada por todos que lá estão. Queremos que todos tenham orgulho de fazer parte desta escola. Para atingir esta meta, propomos as seguintes ações:

  • Encontros mensais coletivos de formação docente;
  • Tutorias mensais com a direção, vice e coordenação pedagógica da escola;
  • Reuniões com as famílias dos alunos;
  • Reuniões com os alunos;
  • Visitas à comunidade do Palmital;
  • Reuniões mensais na Secretaria de Educação com a equipe gestora.

As ações estão previstas para este ano de 2017, sendo agendadas de maio a dezembro, podendo ter continuidade para o ano que vem.

 

Gostou deste conteúdo? Deixe um comentário!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>